Equipe Ashoka Brasil

Um breve resumo de quem trabalha no escritório Ashoka Brasil.

Anamaria Schindler: Anamaria é diretora da Ashoka na América Latina e membro da equipe de liderança global da Ashoka. Montou e dirigiu o Instituto Arapyaú, de 2008 a 2011, fundado no Brasil por Guilherme Leal. Foi Co-presidente Global da Ashoka de 2005 a 2008, dividindo seu tempo entre São Paulo e Washington. Anamaria é mestranda em Sociologia pela Universade de São Paulo (USP) e dedicou-se aos Direitos Humanos por mais de 10 anos. É membro de vários conselhos de organizações da sociedade civil no Brasil e América Latina, incluindo o International Advisory Council da Fundação Dom Cabral, Fundacion Avina, Conectas Direitos Humanos. 

Caroline Garrett: Formada em Relações Internacionais, foi membro do Núcleo Feminista de RI e trabalhou na Comissão de Direitos Humanos da USP até chegar na Ashoka. Busca cada vez mais trabalhar pelo fortalecimento da sociedade civil, acredita na força e no poder de redes colaborativas para criar soluções de impacto sistêmico e é apaixonada por ler e ouvir histórias, principalmente as de pessoas reais. Hoje atua na na área de Busca e Reconhecimento de Empreendedores Sociais e apoia Parcerias e Projetos. 

Candace Lessa: Cindy trabalha no terceiro setor há anos. Começou nos Estados Unidos com a fundação de um museu comunitário, e no Brasil participou dos primeiros anos da Ashoka reconhecendo empreendedores e empreendedoras sociais, ampliando a rede de parceiros(as) da organização e colaborando para que o conceito de "empreendedor/empreendedora social" fosse compreendido e incorporado ao repertório conceitual. Desde o começo de 2019 está como diretora interina da Ashoka Brasil. 

Douglas Laudislau: bacharel em ciências sociais, licenciado em sociologia, mestre em educação e doutorando em educação, pela Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo. Como pesquisador, se interessa por educação indígena, inovação educacional e, atualmente, pelas intersecções e continuidades humanos-máquinas referentes ao denominado campo da inteligência artificial. Tem experiência como professor em escolas de educação básica e no ensino superior.  Paralelamente às atividades citadas, desenvolve blogs e páginas em redes sociais com o objetivo de desenvolver processos de aprendizagem na área de ciências sociais e liderança e criatividade juvenis. Entrou na Ashoka em 2018, inicialmente, como coordenador executivo de uma iniciativa que tem o objetivo de co-construir uma proposta de política pública para o ensino médio brasileiro atrelada à perspectiva transformadora.  Paralelamente, foi construindo uma relação intensa com alguns coletivos de jovens. Neste cenário, o primeiro desafio foi lançar a busca e reconhecimento de Jovens Transformadores. Desde dezembro de 2018, apoia a execução e planejamento dos JTA aqui no Brasil. 

Flávia Sartori: Flávia é graduada em jornalismo pela Cásper Líbero e está fazendo uma pós-graduação no Instituto Amani em Social Innovation Management. Começou a trabalhar na Ashoka como voluntária em 2018, quando decidiu que queria trabalhar com inovação social. Tem experiência em relações públicas, empreendedorismo e inovação. Hoje é responsável pela Comunicação da Ashoka e trabalha ativamente junto aos escritórios da América Latina para criar estratégias que sejam transversais à todas as àreas da organização ao lado dos times de comunicação do continente. Também apoia o programa do Escolas Transformadoras e iniciativas de captação de recursos. Acredita na força e potência da Comunicação e busca explorar essa ferramenta da melhor maneira todos os dias com o objetivo de promover impacto social. 

Flavio Bassi: Antropólogo, educador e biólogo com 15 anos de experiência no setor social no Brasil e internacionalmente. Foi fundador e diretor executivo da Ocareté, atuando no campo socioambiental com povos indígenas e comunidades tradicionais, idealizador e curador do Entremundos, diretor regional da Ashoka para o sul da África e atualmente é vice-presidente da Ashoka na América Latina onde dirige a estratégia de Infância e Educação. É também pesquisador do Centro de Estudos Ameríndios (CEstA) da Universidade de São Paulo e integrante da comunidade global Responsible Leaders da BMW Foundation. Em 2012 foi reconhecido como “Europe-Africa Young Leader” pela BMW Stiftung e em 2013 recebeu o prêmio “Top 35 Under 35 Young Foreigners Making an Impact in Africa” pela Young People in International Affairs (YPIA). 

Helena Singer: Helena é líder da Estratégia de Juventude America Latina na Ashoka e Vice-Presidente da Ashoka América Latina, colunista da revista Nova Escola, membro do Conselho Municipal de Educação de São Paulo e do Instituto de Estudos Avançados da Universidade de São Paulo. Como Assessora Especial no MEC, presidiu a iniciativa por Inovação e Criatividade na Educação Básica em 2015. Foi Diretora da Cidade Escola Aprendiz, chefe do Departamento de Ações Estratégicas e Inovação do Sesc Nacional e pesquisadora do Núcleo de Estudos da Violência da USP. Doutora em Sociologia pela USP, com pós-doutorado em Educação pela Unicamp. É autora de livros e artigos publicados no Brasil e no exterior sobre educação e direitos humanos. 

Nátali Lorraine: Nátali é estudante de Gestão de Políticas Públicas pela Universidade de São Paulo, pesquisadora Fapesp sobre a Lei Antirracismo e membro do Grupo de Estudos e Pesquisa de Políticas Públicas para Inclusão Social (GEPPIS). Trabalhou como professora no Cursinho Popular Professora Leila Regina e é membro da entidade estudantil EACH Social, na área de Inovação Social. Na Ashoka, atua na área de Busca e Reconhecimento de Empreendedores Sociais e também com o setor financeiro.  

Nathália Fragoso: Nathália é estudande de Relações Públicas pela Universidade de São Paulo, já participou da iniciação científica com tema Comunicação pública para sustentabilidade: ações colaborativas entre poder público, iniciativa privada e terceiro setor para uma consciência social e educação ambiental. Fundou, juntamente com sua mãe e amigas, uma associação chamada Ecopatas que recolhe materiais recicláveis, tampas plásticas e lacres de alumínio, e com a verba da venda desse material, castra cães e gatos de rua, conservando o meio ambiente e melhorando a vida desses animais. Na Ashoka, atua na área de comunicação, auxiliando na criação de conteúdo, traduções e estratégias para melhoria da comunicação. 

Rafael Murta: Rafael é graduado em Relações Públicas e tem MBA em Gestão Estratégica de Negócios e mestrado em Administração Pública e Governo, pela FGV. Hoje ele é co-coordenador do processo de busca e reconhecimento e da rede de empreendedoras e empreendedores sociais no Brasil, além de coordenador do projeto Jovens Transformadores em Campo, uma parceria com a Nestlé.  Ele também é empreendedor e criou a Ecodiálogo, que atua com articulação, engajamento e diálogo para a formulação e implementação de estratégias organizacionais e políticas públicas de sustentabilidade e desenvolvimento, o que o permitiu atuar em 13 estados e ser consultor do WWF-Brasil, da Fundação Getúlio Vargas, da Fundação Amazonas Sustentável, da Conservação Internacional, do Centro Sebrae de Sustentabilidade, do Fórum Nacional de Atividades de Base Florestal, do FSC (Forest Stewardship Council) e de muitos outros.  

Ricardo Tomazoli: Ricardo é graduando de Gestão de Políticas Públicas pela Universidade de São Paulo e um dos fundadores do Coletivo LGBTQI+ Saia Debaixo. Foi membro do Grupo de Pesquisa em Psicologia Política, Políticas Públicas e Multiculturalismo (GEPSIPOLIM) pesquisando sobre Memória Política no Bairro de Ermelino Matarazzo e dirigiu o projeto de cultura e extensão CineDiversidade, um cineclube que tinha como objetivo discutir sobre diversidade a partir de produções audiovisuais. Atua na área de Rede de Empreendedoras e Empreendedores da Ashoka. Motivado e sensibilizado desde a infância pela temática da militância LGBTQI+, Ricardo sempre almejou gerar transformação na vida de minorias, encontrando no campo de públicas a forma de lutar contra a LGBTfobia, desigualdades e provocar conscientização.  

Vitória Moraes:  Vitória é mestre em gestão social pela UFBA e graduada em economia pela USP. Participação ativa no Terceiro Setor, com experiência em coordenação e consultoria de projetos sociais. Atuou na área administrativa-financeira de organizações sociais com parcerias privadas e públicas. Outras atividades no Terceiro Setor incluem a integração em Conselhos Municipais e Câmaras técnicas; experiência em elaboração de projetos socioambientais assim como vivência com comunidades tradicionais. Trabalhou no Instituto Chapada de Educação e Pesquisa (fellow Cyebele Amado/ empreendedora social do ano Folha 2012) e na Agenda Pública (Sergio Andrade - empreendedor social do ano Folha 2015/Empreendedor Social da América Latina de 2016 Schwab Foundation/ World Economic Forum). Vitória se juntou à Asoka em outurbo de 2016 como coordenadora Administrativo-financeira do Brasil e integradora financeira na América Latina. 

Wellington Nogueira: Wellington é formado em Teatro Musical pela Academia Americana de Teatro Dramático e Musical de Nova Iorque e em 1988 criou uma organização dedicada a trazer a felicidade para a vida das crianças nos hospitais através da arte dramática de fazer palhaçadas, o Doutores da Alegria. Por meio de seu programa, ele busca dar a essa forma de expressão artística um caráter predominantemente social, em um esforço para humanizar os hospitais brasileiros. Seu trabalho foi reconhecido pela ONU como uma das 40 melhores práticas humanas mundiais, em prêmios concedidos em 1998 e 2000. Além de ator, escritor, empreendedor social e palestrante, em 2019 se tornou diretor interino da Ashoka Brasil.