Disponível em EN | FR | IT | DE | ES | PT-BR | JA

Se você tem interesse em recomendar um(a) empreendedor(a) social para a rede  Ashoka, preencha as informações sobre o(a) candidato(a) e seu trabalho. Você pode recomendar um(a) candidato(a) por meio do botão abaixo.

Leia cuidadosamente os cinco critérios de seleção listados abaixo para garantir que o(a) candidato(a) se encaixa em nossa compreensão de um(a) empreendedor(a) social líder.

A Ashoka reconhece que não é possível buscar os principais empreendedores(as) sociais do mundo por conta própria. Os bons representantes garantem que a Ashoka receba um fluxo constante de candidatos(as) promissores, bem como um ponto de vista de valor inestimável sobre a inovação atual no setor. Desde já, agradecemos.

CRITÉRIOS DE SELEÇÃO

O que caracteriza um(a) empreendedor(a) social líder? Como a Ashoka decide quais candidatos(as) recomendar e quais recusar?

O processo de reconhecimento da Ashoka é sustentado por nossos cinco critérios, de acordo com os quais todos(as) os(as) candidatos(as) a empreendedor(a) social Ashoka são avaliados:

O Teste Knockout: Uma ideia inovadora

A Ashoka não pode eleger alguém para a rede de empreendedores sociais Ashoka a menos que essa pessoa possua uma ideia inovadora - uma nova solução ou abordagem para um problema social - que mudará o padrão em determinado campo, seja ele o campo dos direitos humanos, do meio ambiente ou qualquer outro.  Avaliamos a ideia historicamente e em relação às suas contemporâneas no campo, à procura de inovação e potencial de mudança real.

Criatividade

Empreendedores(as) sociais bem-sucedidos(as) devem ser criativos(as) tanto como visionários(as) que estabelecem metas e como solucionadores(as) de problemas que são capazes de transformar suas visões em realidade. A criatividade não é uma qualidade que aparece de repente; ela quase sempre aflora a partir da juventude. Entre as perguntas que podemos fazer: Essa pessoa tem uma visão de como ela pode satisfazer uma necessidade humana de uma forma melhor do que antes? O(a) candidato(a) tem um histórico de criação de visões inovadoras?

Perfil empreendedor

Talvez o nosso critério mais importante, o perfil empreendedor, seja a característica que define os principais empreendedores(as) sociais. Ele define os(as) líderes que veem oportunidades de mudança e inovação e se dedicam inteiramente para que essa mudança aconteça. Geralmente, esses(as) líderes têm pouco interesse em qualquer coisa além de sua missão, e estão dispostos(as) a passar os próximos dez a 15 anos colocando um projeto em prática. Essa absorção total é fundamental para transformar uma nova ideia em realidade, e é por esta razão que a Ashoka insiste que os(as) candidatos(as) se comprometam em tempo integral às suas ideias durante a fase de lançamento.

Impacto social da ideia

Esse critério concentra-se na ideia do(a) candidato(a) e não no(a) candidato(a) em si. A Ashoka só está interessada em ideias que acredita que irão transformar o campo de forma significativa e que irão desencadear um impacto nacional ou, para os países menores, uma mudança regional mais ampla. Por exemplo, a Ashoka não apoiará o lançamento de uma nova escola ou clínica a menos que seja parte de uma estratégia mais ampla para reformar a educação ou o sistema de saúde em nível nacional e além.

Fibra ética

Os(as) empreendedores(as) sociais que introduzem mudanças estruturais importantes para a sociedade têm de pedir que muitas pessoas mudem a forma como fazem as coisas. Se o(a) empreendedor(a) não é de confiança, a probabilidade de sucesso é reduzida drasticamente. A Ashoka pede que cada participante do processo de seleção avalie rigorosamente os(as) candidatos de acordo com essas qualidades. Se houver qualquer dúvida em relação à ética do(a) candidato(a), o(a) mesmo(a) não será aprovado(a)

.

O Processo De Seleção Para a Rede de Empreendedores(as) Sociais Ashoka

A Ashoka procura no mundo todo pelas pessoas mais empreendedoras sociais por meio de um processo intensivo e centrado no indivíduo, reconhecendo-as para sua rede global de empreendedores(as) sociais e parceiros Ashoka.

O processo de seleção é uma experiência transformadora. Os(as) candidatos(as) estruturam suas inovações e a maneira pela qual eles têm o potencial de mudar os sistemas. Analisam suas estratégias e seus métodos e refletem sobre seu envolvimento como indivíduos e líderes no mundo de hoje. O processo de reconhecimento não é simplesmente um meio para um fim. Ele também serve para gerar discussões consistentes, aguçar ideias e dar espaço a uma jornada de autodescoberta e crescimento.

As etapas do processo de reconhecimento são:

  1. Candidatura: A Ashoka recebe candidaturas de funcionários(as), voluntários(as), parceiros(as), empreendedores(as) sociais Ashoka e representantes, com base nos cinco critérios da Rede de Empreendedores(as) Sociais da Ashoka. Auto-candidaturas de empreendedores(as) sociais, que acreditam que atendem aos critérios da Ashoka, também são bem-vindas..

  2. Primeira Opinião: A equipe local da Ashoka analisa as candidaturas para identificar uma inovação social fundamental. A fim de garantir que o(a) candidato(a) se encaixa nos critérios da Ashoka, conduzem visitas ao local e se reúnem com o(a) candidato(a), bem como analisam seu trabalho com outros(as) especialistas da área.

  3. Segunda Opinião: Um(a) representante sênior da Ashoka com uma vasta experiência no campo do empreendedorismo social analisa o trabalho do(a) candidato(a) com a equipe local. O entrevistador de segunda opinião sempre vem de um continente diferente do que o do(a) candidato(a), para que possa trazer objetividade ao processo e avaliar o potencial de aplicação da ideia em outros lugares do mundo. O(a) entrevistador(a) da segunda opinião terá uma conversa profunda sobre a inovação da ideia e seu potencial de mudança do sistema de todo o setor, bem como a adequação do(a) candidato(a) aos critérios da Ashoka.

  4. Painel: Nessa fase, três a quatro empreendedores(as) sociais e empresários(as) do mesmo país/região entrevistam o(a) candidato(as) para avaliar a inovação e seu impacto potencial no contexto local. Em seguida, o painel reúne-se em grupo e, facilitado pelo(a) entrevistador(a) da segunda opinião, decide por consenso se recomenda que o conselho da Ashoka reconheça esse(a) candidato(a) como um(a) empreendedor(a) social reconhecido(a) pela Ashoka.

  5. Análise do conselho: O conselho global da Ashoka analisa o caso do(a) candidato(a) à luz das observações feitas pela equipe local, pelo(a) entrevistador(a) de segunda opinião e pelos(as) painelistas. Depois de avaliar a adequação do(a) candidato(a) aos critérios e seu alinhamento com a missão da Ashoka, tomam uma decisão final sobre o reconhecimento do(a) candidato(a).

"Em 2008, eu me tornei uma empreendedora social reconhecida pela Ashoka. Fiquei muito feliz com esta oportunidade de conhecer pessoas incríveis, ir a lugares fantásticos e aprender sobre ideias inovadoras. Mas o que eu nunca poderia saber naquela época e só estou começando a entender agora é o crescimento que eu iria vivenciar como pessoa, líder e agente de transformação. O compromisso e a crença da Ashoka em mim e no poder que eu - uma pessoa - posso trazer para o mundo foram transformadores e mudaram minha vida. Não estou nem um pouco surpresa pelo Girls on the Run ter crescido significativamente ao longo dos últimos quatro anos e que nosso crescimento tenha ocorrido em paralelo com a confiança que adquiri usando palavras como 'mudar o mundo', 'transformação' e 'correr riscos positivos'. Essa é a linguagem da Ashoka e o mundo em que eu passei a viver minha vida cotidiana com alegria."

- Molly Barker, Girls on the Run, EUA, empreendedora social reconhecida pela Ashoka desde 2008

 

 

A REDE DE EMPREENDEDORES(AS) SOCIAIS DA ASHOKA

Por mais de 35 anos, a Ashoka construiu e cultivou a maior rede dos(as) principais empreendedores(as) sociais do mundo. Após um rigoroso processo de reconhecimento, eles são apresentados a uma rede de empreendedores sociais vitalícia, em que cada membro tem o compromisso de defender e estimular as novas práticas e padrões pelo bem da sociedade. Nós encorajamos os(as) empreendedores(as) sociais Ashoka a tomar posse da rede e formamos uma parceria com eles(as) para cocriar a visão da Ashoka de um mundo no qual todas e todos podemos ser agentes de transformação social positiva.

Entendemos que as necessidades individuais dos(as) empreendedores(as) sociais variam dependendo da etapa em que se encontra seu projeto. Uma vez selecionado(a), cada empreendedor(a) social Ashoka embarca em um cronograma personalizado de investimentos e apoio ao longo da vida. Temos certeza de que a rede Ashoka, os compromissos que selecionamos e facilitamos e as conexões que viabilizamos são valiosas para todos(as) os(as) empreendedores(as) sociais Ashoka. Convidamos-os(as) para aproveitar ao máximo a rede por meio de interações que aumentarão as chances de aprofundamento do impacto social.

Algumas das oportunidades incluem:

  • Uma bolsa personalizada de até três anos, se necessário, para que o(a) empreendedor(a) dedique-se em tempo integral à promoção de sua ideia
  • Oportunidades de envolvimento sob medida que aceleram seu impacto
  • Maior visibilidade
  • Uma comunidade global de pares

Os(as) empreendedores(as) sociais Ashoka consideram que a rede global da Ashoka deu-lhes uma identidade, uma comunidade e uma rede de contatos e oportunidades para fazer mais.

"Identificar a mim mesma como uma empreendedora social foi realmente marcante. Definiu minha função e me deu a segurança de pertencer a uma rede de pessoas com habilidades e vocações semelhantes."

- Ximena Abogabir, Casa de la Paz, Chile. Empreendedora social Ashoka desde 1995